sábado, junho 26, 2010

A amplitude das Visões

Onde você vê um obstáculo,

Alguém vê o término da viagem
E o outro vê uma chance de crescer.
Onde você vê um motivo pra se irritar,
Alguém vê a tragédia total
E o outro vê uma prova para sua paciência.
Onde você vê a morte,
Alguém vê o fim
E o outro vê o começo de uma nova etapa...
Onde você vê a fortuna,
Alguém vê a riqueza material
E o outro pode encontrar por trás de tudo, a dor e a miséria total.
Onde você vê a teimosia,
Alguém vê a ignorância,
Um outro compreende as limitações do companheiro,
Percebendo que cada qual caminha em seu próprio passo.
E que é inútil querer apressar o passo do outro,
A não ser que ele deseje isso.
Cada qual vê o que quer, pode ou consegue enxergar.
Porque eu sou do tamanho do que vejo.
E não do tamanho da minha altura.

Fernando Pessoa

domingo, junho 20, 2010

Descobertas



Desde que decidi deixar no passado hábitos que me fazem mal, passei a descobrir ou simplesmente a perceber tantas coisas...

Descobri que somente tomar uma decisão de mudança não basta, é necessário agir. Nada neste mundo se modifica sem esforço, sem trabalho, num passe de mágica. Velhos hábitos podem sim serem modificados, mas aos poucos.

Descobri que não preciso ser forte todo o tempo, mas que preciso ser persistente. Que posso errar, cair e que posso chorar. Mas que depois eu preciso me levantar, enxugar minhas lágrimas e tentar novamente.

Descobri que posso ter medo, mas não posso viver com medo. Que minhas dores não são as maiores do mundo e que posso curá-las.

Descobri que os problemas podem ser solucionados, mas, é necessário enfrentá-los. Que para isso posso pedir ajuda e que mesmo com toda ajuda e apoio do mundo, ninguém poderá mudar por mim.

Descobri que as possibilidades são inúmeras, que as oportunidades estão postas e que só preciso ir em busca delas.

Descobri que posso ter outra vida, que não será cor-de-rosa, mas que será mais feliz que esta porque simplesmente estarei vivendo-a.

Descobri que as jornadas mais longas começaram com apenas um passo, e estou feliz porque eu já dei os meus primeiros.

sexta-feira, junho 18, 2010

A dona da história



O ponteiro do relógio marca 13:00 horas. Estou sentada na sala de espera de um consultório. Este será nosso primeiro encontro. Me sinto nervosa, ansiosa. Não faz tanto tempo assim que decidi mudar... Na verdade nem sei como aconteceu.
Já fazia alguns anos que minhas dores se tornaram tão intensas que me paralisaram. Havia me tornado uma espectadora apática da minha própria vida. Tantas coisas passaram por mim... não cultivava mais nem os sonhos. Queria me esconder, anular, simplesmente não ser.
Não sei explicar exatamente como aconteceu. Só sei que pude olhar para mim, para minha vida que passava rápido. Valia a pena seguir assim? Poderia deixar minha vida passar desta maneira? Não, foi a resposta vibrante de minha alma. Nãoo!
Naquele momento nasceu um sonho, talvez mais que um sonho, uma necessidade, um anseio, muito vivo, forte. Lutaria e seria a protagonista da minha vida. Estaria despertando enfim?
Minhas divagações foram interrompidas por uma simpática voz que me chamava. A acompanhei até a outra sala e lá eu tive a certeza que a caminhada começava e não voltaria atrás. Junto a essa mão amiga eu voltaria a ser a dona da minha história.