sábado, dezembro 31, 2011

Adeus ano velho...



De repente, num instante fugaz, os fogos de artifício anunciam que o ano novo está presente e o ano velho ficou para trás.

Daqui a poucas horas 2012 vai chegar, mais um ano novinho para sonhar, para viver, para mudar... Acho incrível como o ano novo contagia as pessoas com esperança e alegria, é como se todos os nossos sonhos se renovassem.  Nasce um desejo enorme de mudar o velho, de deixar para trás o que não nos serve mais.

Foi contagiada por estas energias positivas que comecei a fazer um balanço do ano que passou. Fiz uma análise para saber se o ano foi bom ou não, o que fiz de errado e onde acertei. Descobri  aquilo que quero mudar, aonde devo melhorar e olhei para os sonhos que quero alcançar e... tomei minhas decisões de ano novo, o que para mim foi muito válido porque elas nasceram dessa reflexão.

O balanço do meu ano foi bom, apesar de ter enfrentado muitas dificuldades (a maioria criadas por mim). Minha decisão de ano novo é AGIR, simplesmente agir. E para este ano que está chegando eu tenho um grande pedido a fazer: Por favor 2012, seja bom comigo.

Feliz ano novo a todos!

segunda-feira, dezembro 19, 2011

Primeiras mudanças

Amanhã completa dois meses que fiz a cirurgia. Eliminei 22 quilos, saí do manequim 56 para o 48, até a numeração do meu calçado mudou. Tudo isso é uma benção, é algo extraordinário perceber como meu corpo vai mudando aos poucos, ganhando algumas curvas, aparecendo uns ossinhos, mudando tanto em tão pouco tempo. No meu caso, acompanhar essas mudanças é surpreendente porque sempre fui gorda e nunca tinha visto meu corpo assim.  É uma sensação tão diferente, e acontece tão rápido que às vezes assusta.

Eu tinha prometido a mim mesma não comprar roupas nos primeiros meses, afinal, de alguma maneira ia perde-las muito rápido. Mas não tive outra alternativa, as minhas estão enormes e as calças não cabem mais, ficam caindo. Então fui a uma loja e experimentei calças tamanho 48, todas couberam  e eu fiquei de boca aberta. A única coisa estranhei um pouco foi que todas as calças são de cós baixo, e eu não tinha este costume, só usava calças "centro peito". 

Fazer uma cirurgia assim tem suas recompensas, é uma poderosíssima ferramenta de transformação, mas também tem suas dificuldades. Com 60 dias ainda não consigo comer direito, e acho isso uma ironia porque há pouquíssimo tempo atrás meu problema era parar de comer. Mas tudo isso é adaptação, e cada corpo leva seu próprio tempo para se adaptar a uma nova condição.