terça-feira, outubro 12, 2010

O amor nunca se perde

Recebi esse texto e adorei. Compartilho. 

Ele era um adolescente que acabara de ser dispensado pela namorada. Durante três anos, eles tinham compartilhado amigos e lugares favoritos. Agora, no último ano do segundo grau ele estava só. Ela conhecera, durante as férias, um outro garoto pelo qual se apaixonara.
Mike se sentia como a última das criaturas na face da terra. No treino de futebol, ele deixou escapar alguns passes e, pela primeira vez, sofreu várias faltas. Mal acabou o treino, lhe disseram que deveria comparecer ao escritório do treinador.
- E então, filho? Garota, família ou escola, qual dessas coisas está lhe incomodando?
- Garota,  foi a resposta de Mike. 
- Como o senhor adivinhou?
- Mike, sou treinador de futebol desde antes de você nascer e todas as vezes que vejo um craque jogar como um novato do time reserva, o motivo é um desses três.
Mike lhe falou que estava com muita raiva. Havia confiado na menina, dera a ela tudo o que tinha para dar e o que é que ganhou com isso?
 - Boa pergunta. Disse o treinador. O que foi que você ganhou com isso?
Tomou de várias folhas de papel e pediu a Mike que pensasse sobre o tempo que passou ao lado da moça. Que listasse todas as experiências boas e ruins que conseguisse lembrar. E saiu, dizendo que voltaria dentro de uma hora.
Mike começou a lembrar. Recordou do dia que a convidou para sair pela primeira vez e ela aceitou. Se não fosse pelo incentivo dela, ele jamais teria tentado uma vaga no time de futebol.
Pensou nas brigas que tiveram. Não lembrou todos os motivos pelos quais brigavam, mas lembrou-se de como se sentia feliz quando conseguiam conversar e resolver os problemas.
Foi assim que ele aprendeu a se comunicar e a buscar acordos.
Lembrou-se também de quando faziam as pazes. Era sempre a melhor parte.Lembrou-se de todas as vezes que ela o fez sentir-se forte, necessário e especial.
Encheu o papel com a história dos dois, das férias, das viagens feitas com a família, bailes da escola e tranqüilos piqueniques a dois.
E, na medida em que as folhas iam ficando escritas, ele se deu conta do quanto ela o ajudara a crescer e a se conhecer melhor. Ele teria sido uma pessoa diferente sem ela.
Quando uma hora mais tarde, o treinador retornou, Mike se fora. Deixou um bilhete sobre a mesa que dizia apenas:
“Treinador, obrigado pela lição. Acho que é verdade quando dizem que é melhor amar e perder do que jamais ter amado. A gente se vê no treino.”
* * *
O amor é sempre enriquecedor. Sua presença, por mais fugaz que seja, deixa vestígios positivos nas nossas vidas. Como a flor beijada pelo sol desabrocha em festa de cores, a criatura que recebe amor se repleta de riqueza interior. O amor engrandece a alma e clarifica a vida.

“O amor nunca se perde” de David J. Murcott, da obra Histórias para aquecer o coração dos adolescentes, de Jack Canfield, Mark Victor Hansen e Kimberly Kirberger.

4 comentários:

  1. lindo post *---* como sempre ^^
    só um pequena observção prima esta o Comparilho.
    nao seria o compartilho no mais desculpas pela observação

    ResponderExcluir
  2. "Quem despreza um grande amor, não merece ser amado." (Waldick Soriano)

    ResponderExcluir
  3. "A Primeira Traição é essa: NÃO SE TRAIR."
    "A coisa mais importante para qualquer um é não se trair, é a única coisa da qual a gente nunca se perdoa."(Contardo Calligaris)
    "Você pode até se perdoar, mas a culpa de ter se traido a si mesmo dura para sempre."
    Trair "as suas ambições, as suas aspirações, os seus desejos, inclusive esse seu próprio pensamento moral... Isso fica, fica para nos adoecer."
    (Psicanalista Contardo Calligaris, entrevistado no Roda Viva, por Marília Gabriela)

    ResponderExcluir