quinta-feira, agosto 04, 2016

Não se abandone jamais


Nunca se abandone. Nunca deixe de cuidar de si mesmo.
Esse princípio é vital, e se aplica a todas as pessoas, em todos os momentos da vida.
Mas eu queria falar mesmo era sobre as pessoas que se submetem à cirurgia bariátrica.
Um cirurgião Bariátrico em geral acompanha seus pacientes por muitos anos, eu tenho muitos pacientes que já acompanho por mais de 15 anos.
É um bom pedaço da vida da pessoa dividindo comigo muitas experiências.
Encontros, desencontros, realizações, alegrias, sofrimentos, ganhos, perdas, sucessos,fracassos, enfim, tudo que faz parte da vida. 
A gente ouve, aconselha, trata, corrige rumos, ajuda, ou pelo menos tenta não atrapalhar, se alegra junto e às vezes fica triste junto.
Não há nada que me deixe mais desanimado e triste do que ver um paciente se abandonar.
Como pode ser esse abandono, essa falta de cuidado consigo mesmo?
A cirurgia bariátrica muitas vezes foi decidida como o último recurso para tratar um problema, que estava sem controle e provocando muita dor e sofrimento físico, social e psíquico.
Mas, apesar de ser muito eficaz, ela exige cuidados especiais, exige sacrifícios.
Nós modificamos um sistema digestivo aparentemente normal, para a pessoa perder algum excesso de peso e obter o alívio para uma série de doenças que acompanham a obesidade.
Nós não apenas causamos restrição à capacidade da pessoa comer muito, nem tão pouco causamos somente a diminuição da absorção dos alimentos.
Nós modificamos, através do procedimento cirúrgico, a maneira como funcionam todas as funções metabólicas, o apetite, a sensação da fome, a saciedade, o gasto calórico basal, a termogênese dos alimentos, a sinalização entre o tubo digestivo, seus hormônios, suas glândulas anexas e o cérebro.
Nós modificamos a forma como circulam os sais biliares e até mudamos o perfil bacteriológico da microbiota intestinal.
Todo o metabolismo dos carboidratos é alterado, produzindo melhora da secreção e da sensibilidade à insulina e consequente melhora dos níveis de glicose no sangue e curamos o diabetes.
Mas a cirurgia bariátrica exige que a pessoa use suplementos vitaminicos, faça exames e consultas periódicas e tenha hábitos de vida saudáveis, como comer alimentos nutritivos e fazer um pouco de atividade física.
Ninguém precisa ficar neurótico com a comida, viver no consultório do cirurgião, nem da nutricionista, e muito menos virar atleta, mas tem que se cuidar.
Abandonar-se, descuidar-se é deixar-se morrer.
A morte está dentro de cada uma das nossas células. Literalmente cada célula possui um vacúolo no seu interior, contendo enzimas ou água oxigenada, que pode destruir imediatamente a própria célula.
A morte também está ao nosso redor, basta prestar atenção aos perigos que nos rodeiam.
A vida também está dentro de nós, e por todos os lugares.
Nós, e cada uma das nossas células, temos que lutar o tempo todo pela vida e contra a morte.
Um paciente Bariátrico se abandona quando não toma seus suplementos e vitaminas, quando não se consulta mais com sua nutricionista, quando come porcaria que não é nutritivo e prejudica a saúde, como biscoitos e refrigerantes, quando fica sedentário e inativo e quando ingere bebida alcoólica de forma irresponsável.
O resultado desse abandono é um grande fracasso, que pode não ser temporário.
Quando a gente passa por uma fase sofrida da vida, quando sofremos alguma perda muito grande, nós temos todo o direito de ficar tristes e chorar, só não podemos nunca é nos abandonar, jamais.


Dr. Orlando Pereira Faria
Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica e responsável Técnico pela Gastrocirurgia de Brasília; graduado pela Universidade de Brasília (UNB). Fez residência no hospital universitário e especialização em cirurgia do aparelho digestivo na Universidade de Paris. Em 1999, fez curso e estágio no Instituto Garrido em São Paulo, e começou a operar em 2000, apresentando excelentes resultados e com baixíssimo índice de complicação. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário