quinta-feira, abril 24, 2014

Quando precisamos nos reconstruir

Já perceberam que em nossas vidas existem coisas que podem ser reformadas e existem outras que só podem ser reconstruídas? Já notaram como muitas vezes tentamos ao máximo dar um jeitinho e queremos reformar aquilo que deve ser reconstruído? 

Isso ocorre em nosso mundo interior também. Muitas vezes tocamos vários anos de nossas vidas com pequenas reformas, que disfarçam e até impedem momentaneamente a estrutura ruir, mas infelizmente chega um momento em que elas não dão mais conta de sustentar tudo que desaba. E aí só nos resta enfrentar ou enfrentar, reconstruir. E vou confessar para vocês, ver tudo em ruínas é um momento terrivelmente assustador... 

Passei 32 anos da minha vida sendo cobrada demais, desmerecida demais, desacreditada demais, julgada demais, abandonada demais, anulada demais. Meninas, como não ser gorda assim? E eu nem percebi. Achava que a origem da dor era a obesidade, quanto engano. A obesidade era consequência. E quando ela se foi, aquela dor ainda estava lá. Ainda está aqui. 

É um peso grande demais de desamor próprio e eu nem posso dizer a vocês o quanto isso dói. Eu acreditei em tudo de ruim que disseram... Mas não quero mais levar isso comigo. Se me desfiz de 52 quilos também posso me desfazer dessa dores. Quero deixar tudo isso lá atrás, curar essas feridas. Quero aprender a me olhar de uma maneira bem diferente, com mais amor, mais carinho e acolhimento. Espero poder me desfazer de todo esse lixo mental, me reconstruir.

Certa vez, li em algum lugar que nós adoecemos (depressão, ataque de pânico, ansiedade, etc) não porque somos fracos, mas porque passamos tempo demais tentando ser fortes. Nós somatizamos essas dores que insistimos em esconder, em fingir que elas não estão ali. Estou passando por isso agora, e é  por isso que decidi escrever esse post, é mais um desabafo, desculpem.

 Estou em tratamento, no início. Imagino que ele será longo. Mas não estou com pressa, não tenho compromisso com ela, só tenho um compromisso gigante com minha paz.

Raquel 




2 comentários:

  1. Raquel, esse assunto muito me assusta, pq ainda estou em emagrecimento e isso ja me ocorre, eu sempre culpei a minha obesidade como o causador de todos os outros conflitos e estou vendo que não é isso...força minha amiga, vc merece ser feliz e será! Eu creio. Um beijo, se sinta abraçada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Silvia, se você sente algo parecido procure ajuda, não seja como sua amiga aqui, que acumulou tudo até não aguentar mais, Obrigada pela visita. Um abração.

      Excluir