sexta-feira, abril 25, 2014

O abraço do esquecimento

Não sei dizer exatamente quando ele decidiu te acompanhar mais de perto. As vezes quando me ponho a pensar sinto que já faz um certo tempo, mas nós não percebemos. Ainda não compreendo porque ele decidiu vir para ficar, não poderia ser só mais uma visita? Para ser sincera, acho que talvez nunca entenda. 

É tão difícil ver ele se fazendo presente cada vez mais em sua vida. Você sofre? Essa é minha maior preocupação... Sabe a pior parte? Não posso fazer nada para que ele vá embora. Quanta impotência sinto.

Mas sabe, pai, de agora em diante, toda vez que ele se fizer mais presente em seus dias eu também me farei. Eu sei que será uma luta desigual, ele te envolve progressivamente e inevitavelmente. Mas isso não me desanima, nem àqueles que te amam. E ele pode até te fazer esquecer de mim, de nós... Mas eu estarei contigo, segurando sua mão. 

Lembra quando eu era pequenininha e o sr. chegava do trabalho, ligava a tv para poder acompanhar o jornal, se sentava em sua poltrona, pegava seus processos e ia estudá-los? E lá vinha eu, toda tagarela, para conversar. Blá, blá, blá... Acho que a prosa era boa, ela sempre me rendia a permissão para pentear seus cabelos, e ir mais além, até prender xuxinhas neles. Ficava horroroso, pai. Definitivamente as xuxinhas eram para meus cabelos não para os teus... Quando penso nesses momentos eu me pergunto o que acontecia com toda a sua seriedade. Talvez detrás dela houvesse um coração enternecido. São tantas lembranças. Tem as ruins também, mas essas vão ficar ofuscadas por todas as boas. O bem é sempre assim, pai, ele sempre se sobressai. 

É tão doloroso saber que o sr. vai me esquecer. Quantas lágrimas só de imaginar isso. É pai, o sr. talvez não tenha lucidez para me ver casar ou conhecer seus netos. Talvez o abraço do esquecimento seja forte demais e o sr. não me veja alcançar meus sonhos. Mas tenha certeza, pai, que o sr. estará presente em todos esses momentos em meu coração e enquanto eu puder estarei contigo. Se o alzheimer te dá um abraço de esquecimento, eu te dou meu abraço de amor.

Raquel







2 comentários:

  1. Que triste! Me emocionei. Força pra você! Sinta-se abraçada.

    ResponderExcluir
  2. Texto lindo! Força pra vc. Passei por isso por muito tempo com minha avó. Dói demais vc sentir saudades de alguém que está presente... É inexplicável. Ajudei minha mãe a cuidar dela até seu ultimo dia(a 15 dias), cuidei dela como ela cuidava de mim, com muito amor e zelo... Ela estava entre nó quando meu filho nasceu, mas não o conheceu como eu queria. Tão linda e bondosa... Doia demais ver ela deixando a vida lúcida ora traz! Força! Muito amor pra vcs cuidarem dele porque é muito difícil. Amor, serenidade, paciência e carinho. Cuidamos da minha avó por 13 anos com alzheimer e não teve um dia que deixamos que ela dormisse sem sentir o nosso amor e nossa gratidão. Precisar de ajuda meu email: Deyzigs@hotmail.com. Um bj. Adorei seu blog. Siga o meu blog...

    ResponderExcluir